quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Seja meu macho
enrabe-me em alteza
conheces as minhas fraquezas
Em suspiro
grito os mais cultos dos prazeres que venero
deixe que o sagrado tónico
derrame na gruta abençoada 

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Nu bem di la

É fla nos é fidju-l fomi
stória ka n-gana
       é ka sukundi

livro ka tem
pamodi papel ka skrebi
si lapizera tinha, biblia era stória

É fla nos é fidju-l fomi
korkotidu, ladridjadu
kru nunpriti - kran

riba kabesa kutelo
bentu era grã di midju

É fla nos é fidju-l fomi
trapu é favor
kobertor é luxu

sombra na txon
sinal di vivamentu

É fla nos é fidju-l fomi
riba farelu
kapúz di terra
amém era speransa la na fim

É fla nos é fidju-l fomi
stória ka n-gana
tambi  é ka sukundi

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

contra elas

Dispiu-lhe o chão
acolheu o baixo
aperta abrupta apta a tábua
o entrar da régua a impede
esfrega espora não resvala
apertou esfolou
lambeu amou gozou

a vontade ...ela emulou o desejo

quarta-feira, 15 de junho de 2016

meu vinho

sopra assim, assim...
          morde os cantos
          os lábios calam-se

sopra assim, assim...
         muda a língua
         assim, assim quente
             o governo também o faz

desce e sopra assim, assim
            vamos mudar
            os ventos mergulharam na corrente

morde assim, assim
           aos pés salientes dos seios
           deixa que a pele sinta as garras da tua corrente

sopra...deixa balancear esses vulcões
            que carregam os pés das tuas costas
            preparei os dentes para amparar o vinho que jorra entre eles

segunda-feira, 16 de maio de 2016

sem

Sem poi
                 ...Tra
Kabesa ka odja nem xinti
Dedu kurva
Petu ka sakudi
Meio subi
Baxu xinta
Si sabura ka santu
Xinti ka pekadu
                        ...Afinal
Txorix ka tem marka

IMAGEM

segunda-feira, 21 de março de 2016

di ripenti

...
vaziu
...

era mudjer ou kudjer
era deusa na strala
era era na era

era silaba na nhas palavras
era gostu nhas bejus
teson na nhas vontadis

era tudu nha era
era nha era de ser era

domingo, 6 de março de 2016

...a ele



Longe a cabeça,
muitas vezes pensei em deixar-lhe
Sem inferir,
o feiticeiro coração alertou ao perigo

O jeito amargo de correr o murro contra a vulva
afoga a tempestade

O selvagem a vinho que ele encosta
faz a leveza voltar a vinagre

A certeza de lhe querer,
faz cada minuto com ele
tornar um infinito em mim

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Deserto nua

Despi o amor a cama
perdi as nupcias o encanto...;
o fugaz fugiu
vesti-me d'água

Ao monte grita.
...no quarto onde as bestas berram
   os gatos não relincham

O desprezo,
a insuficiência de ao lado ter
faz aumentar a respiração do toque,
as palavras do dedo na morte do momento...
...alivia o sufoco.


domingo, 6 de setembro de 2015

abo

kada bez k'm pára
ideia bua

dedu abri
kankaram txuki
saluz korri
sem n'kré mas ku xintidu n'el

rabu kurva
duedju kapri
tudu ki era si - priska
sem n'kré mas ku xintidu n'el

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

sombra

Di'sel tudu era nada
tudu ki es odja era nada

ami na el era só nada
kel nada ki di ton nada ki era
torna invisivel

..., ... manxi ...
kantu sombra si dedu toka nha xintidu
si nada torna 'el

onti inxina'n ma n'tem ki pega gosi
si gosi ka dexa'n
Si'n morri ta sirbi'n di lisson

dipos di xinti si sombra
midjor mortu na serteza ki bibu na duvida

sexta-feira, 24 de julho de 2015

queria em si sê-la
a mais fina sêmola
que as liricas pétalas entrelaçaram

queria em si sê-la
o fino celo
que a bruma soprou
ao feto em véu

queria em si sê-la
a ela
em si
e só....

sexta-feira, 19 de junho de 2015

tua pele carrega a essência
da minha tormenta...
varre o desejo o destino
prende o odor em mim
em águas incertas,
.o barulho...faz-se em silêncio...

quarta-feira, 10 de junho de 2015

saudades



tua respiração visitou-me -- hoje
dispensei as toalhas o amor
cobri-me ao hipinótico
desejei o desejo a tua presença
o otis do elástico corpo
travou a vontade as tuas mãos

terça-feira, 5 de maio de 2015

sugunda di noti

skuma sopra
agu ferbi
petu djemi
furminga gadanha
kantu odju rabida
era kel lingua lombudu na sola pé

ropa ka kai pamodi é ka staba

kantu nariz n'gosta tras di duedju
gelatina lolu
garganta abri
rapassinhu murgudja
stangu màra piskòs

si kusa ka era fundu ta kobada

quarta-feira, 29 de abril de 2015

xintidu finu

gosi k'm txiga kasa
odju kapridu
stangu fuliadu
spritu lapidu

pensamentu sata ladridja
tudu bes ki é tranka ku bu korpu
na madri xintidu

na kantu borronsera
bridja dja màra baron - ta toka
perna sta torsidu
unha dja bua

na madri xintidu
kudadu dja màra kabesa
sombra dja fitxa odju
korpu dja bisti nupriti

silensio sata sakuta surtu

sábado, 4 de abril de 2015

Di

Sopra la undi bu meresi
Kumi la undi é di bo
Kumera é na tetu
Poi mò dentu pettu...xinti 
si é mesmu kor d’onti
Lembi sentura
Txupa indjarga
Konta vibrason
Nariz dja fitxa
Pò mò,txupa dedu
Kuspi’n na boka
Djan kré papia nha gostu na bu paladar...

boka fitxa

na labada kosta temperatura madur
petu korta
odju respira
sentimentu konta pa razon
n'ka dexa ama pa ka odia
n'ka dexa kumi pa ka xinti fomi
n'dexa marra ku speransa na ka dexa kapri

quarta-feira, 18 de março de 2015

aindaaa

veias abaixo
corre o suor do teu fôlego

o cheiro do suspiro ainda arrepia
evaporaram os pelos a sílaba
a virilha ainda transpira o olhar
a suave língua das mãos rolam entre as pernas

Ela ainda recorda os quatro anos ejaculados

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

CD


para-lém di dja'm kria te'n bò, djam kria ser di bò
si nha sorrisu ka mostraba mi, 
odjus dja rueba ma korason ka sta tremi mas
kada bes ki nha garganta tropesa na bu boka
korpu ta bira'n sima furmiga baxu sukri

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Ninguem

Pretu, pretu 
Ti ki ta bira burmedju
Korpu runhu
Folgu lambiki
Kombersu santu

Na labada nha kumera
Xintidu perde’l
Parede riska
Penedu gemi
Puera sukudi

N’gosta’l na mi sima boi
N’rema’l sima fodjada
Sòka labanta
Ku boka prindadu na pó 
Tentason bira kal
Dedu nega tamboru
N’torsi, n’monhongui
N’rabida’l na paladar
N’susti’l lingua n’latxi

Preto barusku
Kada bes ki di meu n’gosta na di sel
Tinta’l si bexu ta inkardi’m sangui.