terça-feira, 3 de junho de 2008

Inspiração


Inspiração é uma covardia
Quando a coragem de enfrentar me falta

É o refugio quando meus sentimentos
Foram aceites e recusados

É dizer o que perdi
E gritar o que eu ganhei sem excitar

É revelar os mais íntimos
Dos meus sentimentos

Em suaves palavras que um dia
Alguém plantou em minha mente

Palavras que um dia o vento levou
sem que a paixão me devolvesse

Inspiração é dizer tudo o que sei
Quando as falas me percam

É levar ao alto o mais íntimo
Do meu ego

É dizer tudo o que sou
Quando nada sou

Inspiração é te ver e desvendar
O que és.

É querer dizer o que eu quero
Quando todas as palavras me faltam

É escrever sem pensar
Quando algo me toca

É ser quando ninguém me
Conhece.

Inspiração é desvendar o que sou, em palavras.

Artemisa Ferreira

Pensar em ti

Essa suave brisa do amanhecer
Não me deixa
Ficar sem pensar em ti

De tanto pensar em ti
Fico a pensar o como
Entraste no meu pensamento

Já és o meu ideal
Te esquecer é uma tormenta
Que não me deixa sentir

Não sei te esquecer
Esqueço-me de esquecer-me de ti
Já não sei se existo

É mais fácil deixar de pensar
Do que esquecer-me de ti
Esqueço-me de esquecer-me de ti

Artemisa Ferreira

Olhar irresistível


De tão pouco que te conheço
Já não sei mais o que me dizem os teus olhares
Não sei acreditar naquilo que não és

O que tudo em ti me diz
O meu ser completa
A minha imaginação ajusta

Tudo o que em ti existe
Já não sei se me atrai
Mas sei que me cativa

A minha incerteza quase acerta
Naquilo que os teus olhos me figuram
À frente dos meus

Na incerteza das tuas palavras
No semicerrar dos teus olhares
Já não sei até quando ela durará

Esses olhares irresistíveis
Que prendem os nossos corpos atraentes
Quando o prazer trava nossos horizontes.

Artemisa Ferreira