quinta-feira, 24 de março de 2011



Ao meio da noite pelo telefone
Fala-me da ansiedade do seu Falos
Que despertou ferozmente de um sonho enlouquecido
Transpirando suor de desejos
Faço de despercebida
Mas o aljôfar da minha Vulva denúncia me pela sua ansiedade