quinta-feira, 4 de agosto de 2011

NOITE QUENTE


a tarde que se foi
foi um orgasmo perdido

o fluido daquele sol
que envergonhado desapareceu
era um tesão sumido

o gemido de uma noite a apontar
era um sonho a renascer

a lua despiu-se de esperança
eu vesti-me de solidão

naquela noite tesa de solidão
dormi sob o ejacular do meu sonhar

Sem comentários:

Enviar um comentário