sábado, 12 de maio de 2012

Aquela rua


Foi naquela rua, onde te encontrei,
Reluziam teus olhos,
Agitei-me que fosse a fúria do meu atraso.

Foi naquela rua,
De roupão e saltos altos
te encontrei .

Foi naquela rua que,
Sob meu roupão negro
Rasgaste com os teus dentes,
A minha lingerie vermelha.

Foi naquela rua,
Sem falar,
 rasgaste as minhas meias negras
Com os teus suspiros.

Foi naquela rua,
onde atiraste pelo rio o meu roupão, e...
cobriste meu corpo com a tua língua.

Foi naquela rua,
Que senti, que meu corpo
Estava condenado a ser teu.

1 comentário: