quinta-feira, 28 de junho de 2012

Oculto

Sou aquela pequena folha,
escrita e rasgada
levada pelo vento
molhada por orvalho.

Sou aquelas palavras
escritas sem nexo
ocultas pelo abismo.
 aquelas palavras erradas
que ninguém quer ler,
esquecidas...
desfeitas pelas gotas.

Sou aquela folha que o lixo despreza,
o vento rasga
a solidão não quer.
Sou aquela folha rasgada,
desfeita aos pedaços
comida pelo peixe

Sou aquela folha sem era nem berra,
Porque sinto-me em casa no meio do nada.

Sem comentários:

Enviar um comentário