segunda-feira, 30 de julho de 2012

I


Enrola em mim, búfalo do deserto,
cobre-me com o teu cheiro a esperma azeda.
Entregarei a minha boceta ao teu paladar,
meu espírito ao teu julgamento.
Cobre-me com a tua suja língua,
suga o meu suor com a tua pele.
Ofereço-te meu corpo como um caderno,
para que nele escrevas com o teu pénis, 
as loucuras da vida.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Boceta


Fresca e azeda
no perfume das ruas de Paris
cheira a peixe.
Lavada à pouco, fresca ou azeda
é chupada.
Desprezada e amada
é comida.
Vive pela vida,
Vive pelo prazer.
Em cada canto abre-se
por quem passa
Em cada quarto entrega-se
a quem o quer.
Forte e fraca,
engole tudo o que vai à boca.
Prezada pelo pénis
honrada pelos homens.
Esta é a boceta afável e rude,
abre como uma flor
come como uma cadela.

terça-feira, 10 de julho de 2012

um aíí tempradu

na cozinha o cheiro da carne invadia o ambiente,
bistidu de grade,
rabadidja na montra,
kalor na ponta pé.
é staba nha trás
si folgu correm na piskós,
ratxam bistidu é fuliam riba fogon.
sem sensibilidade é puxam kabesa
é komesa ta bejam pa alguns segundus.
é komesa ta dixi ku lingua na nha piskós
txiga na nhas petos é mamam sima menino ku fomi.
n'xinti nhas mamas dentu si boka,
lumi komesa ta sendi dentu mi,
nka grita, nka ui nka aí,
n'pára na tempu, mundu komesa ta da volta.
é dixi ku boka levi-levi,
um beju na biku txapu - sima é tinha pressa é ka pára la.
kanto é txiga riba nha penti - n'rapia.
é sopra na kabesa nha goela - n'grita - kel goh nka aguenta.
é dam dos palmadas é fuliam na txon di kuzinha.
marram mó, pom korda na piskós
é fazem si skrava,
ku xikoti na mó é dominam.
kel masukismu kim tem dentu mi grita di sabura.
é pom di juelho é komesa ta lembem,
é lembi de rabu pa rabadidja,
di costa é poi kabesa entri nhas juelhos,
é komesa ta lembi  ta txupa,
é meti lingua é fazel disel.
di korda na piskós,
abrim pé é metem kel biroti k sem perguisa Deus fazel el.
sem konta é metem el tudo dentu mi,
ta mukam ta txomam di tudo nomi ki bem na kabesa.
é kumem sem dor na txon di kel kuzinha,
kada gemidu um posison.
regam ku vinhu é jantam
na um 69 é fazem inguli kel fanadu ku nata mal passadu...

sábado, 7 de julho de 2012

Vizinho

Hei mos kanela bodi
korpu  karnero
piskós katxu-nú.
si'm pegau na nha borronsera,
nta torseu,
nta fazeu quadradu
nta pou baxu kotxi-kotxi
nta fulhau riba nha stera.
nha relógio ka teni pilha
nha janela sta impenadu,
nha porta oras kim fitxa ka ta kré abri,
nha kanderu ka teni pitroli  
nsta na sukuru.
mas nhas dedus tem odju
na lingua tem pé
nhas dentes tem kumandu
si'm pegau riba nha stera,
nta kumeu divagar sem pressa
padas - padas,
sem dor nem piedade
ai mos pé di bodi
si'm pegau ku nha boka bu ka ta kapri
ka tem socorro k ta kudiu.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Imagino

Imagino teu beijo
quando vejo teus lábios.
excita-me aquele croissant
que molha quando fala
acende quando sorri.
Arrepio e fico soada.

o pensamento já não tolera tanta imaginação.
Imagino, Imagino e Imagino teus lábios
tua língua torsidu embrudjadu ku di meu ta fla mantenha.