segunda-feira, 30 de julho de 2012

I


Enrola em mim, búfalo do deserto,
cobre-me com o teu cheiro a esperma azeda.
Entregarei a minha boceta ao teu paladar,
meu espírito ao teu julgamento.
Cobre-me com a tua suja língua,
suga o meu suor com a tua pele.
Ofereço-te meu corpo como um caderno,
para que nele escrevas com o teu pénis, 
as loucuras da vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário