quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Deixado

Ontem, hoje e o agora,
esta cama cheira a tesão
o líquido viscoso que derrama entre os lençóis
é o fruto do apertar, apertar e mais apertar

o vento recusou-se a entrar
o ar deixou-se de circular
tudo gira à volta do cheiro húmido
do prazer negado

talvez...
amanhã viverei para recordar
o quão entesada estive hoje

pois...
o único problema nesse crepúsculo
é que o amanhã não existe.

Sem comentários:

Enviar um comentário