quarta-feira, 29 de maio de 2013

Aquela



aquela mulher é doida doida,
porque enlouqueceu meu íntimo
balançou meu destino.

aquela mulher é louca louca,
deixa-me alienada.
quando anda abana o rabo
mas quem pula é meu coração.
ela sacode e rebola
mas quem treme são os meus lábios.
sou escrava do destino que construí,
 
 não vivo nem morro, simplesmente  sou escrava das sua ancas,
dos seus seios, dos seus lábio, do seu corpo,  da sua alma,
aquela louca, doida, enlouqueceu minhas trompas…

1 comentário:

  1. Na konbuston di baka N ta masa-u,
    na ventri-l baru N ta molda-u fepu,
    ku nha tudu pregu N ta faze-u braku
    pa undi lingua-l fogu ta bai kema-u.

    ResponderEliminar