quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Bordão

O morto órgão que transforma – enche a boca
a garganta aperta
o fôlego falha
a cachorra despe,
o caralho que mergulha 
penetra pela furna,
não incomoda mas molda
mosca o medo
chama a ânsia,
a porra que sai rebola sobre a língua
o que resta desce pelos vasos e alimenta a puta da krika,
balançado e esticado morre entre o chão e o colchão o malvado foda

Sem comentários:

Enviar um comentário