sábado, 8 de março de 2014

Deixa-me



Minha...
Deixa-me amar-te à flor da pele
Deixa-me alimentar desse cheiro que a lavanda banhou
Deixa tua alma morrer aos meus braços,
que o prelúdio da nossa história acabou de começar
Oiça em silêncio esse peito a cristal que construíste - Deixa-me

Deixa-me amar-te assim coisa minha,
nua, quente e fértil
serei o estrume da tua horta
Deixa-me amar-te assim, do suor à espuma
da espuma à toalha - Cálido
Deixa-me Afrodita minha.

Sem comentários:

Enviar um comentário