sexta-feira, 11 de abril de 2014

Cor minha



Atravessando fronteira
Não sabia que arma usava
Percorri o parque
Escutei o vento
O mar empurrou-me
A encosta amparou-me
Queria que fosses território meu
Por isso utilizei a língua púrpura

Sem comentários:

Enviar um comentário